Vivendo o Sonho

A_AMY_KOTCH_

A história da surfista Amy Kotch começa com o sonho de ter ondas perfeitas todos os dias, ver o sol a pôr-se nas cristalinas águas tropicais das Maldivas, e coqueiros nas praias de areia branca.

Pode perfeitamente ser um dos empregos mais invejados do mundo. Amy Kotch é a primeira mulher a conseguir um emprego como guia de surf residente no Four Seasons Resort nas Maldivas. Amy agora vive um estilo de vida nómada com o seu marido, durante seis meses do ano em ‘Hudhuranfushi Resort’ e durante o restante tempo, no Pohnpei Surf Club, na Micronésia.

O Passado de Amy Kotch:
Nasceu e cresceu no sul da Califórnia, Amy teve um contacto tardio com o surf, por volta dos 19 anos. No entanto, o surf mudou a sua vida num piscar de olhos. Um ano depois, em 1998, Amy mudou-se para a praia para viver numa tenda de um surf camp e ajudar os outros a aprender a surfar, enquanto tentava melhorar as suas habilidades. Nessa altura, Amy começou a andar de longboard e ainda fez tandem surf, mas progressivamente passou para as shortboards porque queria algo mais desafiante, ao mesmo tempo que ajudava as crianças a aprender a surfar. Em 2001 vai para a Indonésia pela primeira vez com o seu namorado da época e ficou apaixonada. De tal forma que quis mudar-se logo mudar-se e abandonar a universidade. O seu mundo já girava em torno do surf, trabalhava como empregada de mesa para ter os dias livres para surfar. Vivia para o surf e respirava surf, sempre tendo em mente que um estaria a viver num lugar quente e tropical, era nisso que acreditava. Entretanto fez alguns campeonatos locais para tentar melhorar o seu surf e conhecer outras mulheres que partilhavam da mesma opinião.

Como tudo começou:
Depois de muitas viagens à Indonésia , a mãe de uma das crianças que Amy tinha ensinado a surfar, convidou-a para a acompanhar numa viagem de surf à Indonésia, uma vez que já lá tinha estado muitas vezes e por isso conhecia bem a região. Amy não hesitou e acabou por ficar no Nihiwatu Resort , na ilha de Sumba. No segundo dia da viagem, Amy perguntou na brincadeira ao gerente do resort se estavam a precisar de alguém para ajudar. Sem hesitar, enviou uns emails para família e amigos, agarrou o trabalho no local e já não voltou para casa.

Quando os proprietários da Tropicsurf, estiveram no resort e lhe ofereceram um emprego de guia de surf nas Maldivas para a temporada seguinte, Amy sentiu o universo a puxá-la nessa direcção. Curiosamente, quando visitou o arquipélago em 2006, pensou que esse seria o seu emprego de sonho.

No meio do Oceano Índico numa muito remota ilha indonésia alguém cai do céu e oferece um emprego nas Maldivas como guia de surf, é algo de inimaginável. Amy decidiu mais uma vez seguir o seu coração e ir em frente. Depois de fazer alguns treinos naquela costa, Amy partiu para a sua aventura no Four Seasons Resort, como guia de surf residente. Desafiador e culturalmente muito diferente de qualquer lugar, a experiência foi única: ondas divertidas, o povo das Maldivas muito doce e a vida de resort tão diferente.

Foi lá que Amy conheceu a sua alma gémea, Richard Kotch, e a partir daí, desenrolou-se uma bonita história de amor, num país muçulmano, dentro de água e enquanto trabalhava num resort cheio de casais em lua de mel. Casaram e agora trabalham como uma equipa no resort de Richard. Antes de se conhecerem estavam a viver o sonho das suas vidas separadamente e agora continuam a vivê-lo, mas juntos.

O que mais aprendeu Amy nestes anos todos a viajar e a surfar?
As experiências que teve enquanto viajava foi a melhor educação que eu jamais poderia ter recebido. Aprendi muito sobre outras culturas, governos, pessoas e muito mais. Somos todos feitos dos mesmos elementos e é bom lembrarmo-nos disso quando olhamos para aqueles que parecem ser diferentes de nós. Embora este estilo de vida tenha os seus riscos e desafios, Richard e Amy estão muito gratos por estar a viver da forma como o fazem. Enquanto sentimos falta da família, amigos e dos limites da sociedade normal de vez em quando, eles não trocam esta vida nómada por nada deste mundo.

artigos idênticos:

Top